domingo, 9 de junho de 2013

Não me Calam


Algumas pessoas (principalmente meus alunos) perguntam-me constantemente se eu não tenho medo de denunciar as atrocidades que vejo por meio dos textos que escrevo. Respondo que não! Porque se eu me calar (como muitos fazem), se eu nada fizer (ou tentar fazer) a tendência é piorar ainda mais.
Seria utopia achar que as crueldades humanas irão acabar, entretanto, podemos fazer com que a frequência dessas ações insanas diminua.
Mesmo que queiram me calar continuarei escrevendo (lutando)!
Meu viver é Cristo e o meu morrer é lucro!


Flávio B. S. dos Santos
Crônica
Praia Grande-SP. – 11/03/2012